Televendas | 0800 878 6547

Como melhorar a relação médico-paciente? Veja a relevância

A relação médico-paciente envolve um vínculo de confiança e respeito, essencial para o sucesso do tratamento.

A relação médico-paciente é indispensável para a execução de uma prestação de serviços com excelência. Isso porque o trabalho envolve o cuidado com vidas. E o estreitamento dos laços entre os profissionais da saúde e os enfermos é fundamental para a criação de um vínculo de acolhimento e confiança. Esses são fatores relevantes para realizar um diagnóstico preciso, recomendar tratamentos mais apropriados e alcançar resultados satisfatórios.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para explicar a importância da relação médico-paciente, os impactos dela na experiência das pessoas e o que fazer para torná-la cada vez mais forte. Confira!

O que é a relação médico-paciente?

A relação médico-paciente é desenvolvida em todas as interações entre os profissionais de saúde e os indivíduos que buscam atendimento. O que pode ocorrer por meio de uma consulta única ou por diversas interações no decorrer dos anos. É um relacionamento que envolve confiança e responsabilidades e, como qualquer relação humana, não está livre de desafios que precisam ser superados.

Para que isso serve?

O relacionamento entre médico e paciente vai muito além de um encontro entre pessoas, em que vão ocorrer perguntas, exames físicos e prescrição de medicamentos. É essencial que o paciente não seja visto apenas como um portador de doença.

O fortalecimento dessa relação envolve mudar o entendimento de que a pessoa é somente um conjunto de sinais e sintomas. Já que, na verdade, é alguém que busca alívio para as dores, angústias e preocupações, e que vê o médico como alguém para depositar sua esperança e confiança.

É na intimidade desse contato que diagnósticos precisos são fechados, permitindo uma melhora mais ágil das queixas que são apresentadas no consultório.

Qual é a importância de se preocupar com a humanização médica?

A rotina corrida pode fazer com que as relações se tornem mais superficiais, inclusive, nas consultas médicas. Para solucionar essa questão, que infelizmente se tornou um hábito em muitos consultórios, é essencial que o médico não veja o paciente como mais um número, mas dê toda a atenção necessária que ele precisa.

O médico do futuro leva em conta que se trata de uma vida que precisa de cuidados. Esse pensamento trouxe uma premissa básica para a relação médico-paciente, que é o atendimento humanizado.

Como a experiência do paciente impacta a atuação médica?

Proporcionar uma boa experiência aos pacientes pode proporcionar uma série de vantagens. A seguir, veja as principais!

Aumento do envolvimento do paciente

A experiência do paciente, que faz com que ele se sinta único e valorizado, eleva as chances de que tanto ele quanto seus familiares e cuidadores se envolvam de forma mais efetiva em seus resultados de saúde.

Geração de receita para a instituição

A satisfação do paciente está sendo cada vez mais utilizada como uma maneira de avaliar a qualidade dos atendimentos prestados pelas unidades de saúde, o que é um meio de captação e fidelização de pessoas.

Melhora na reputação do negócio

Com o avanço da tecnologia, os pacientes podem comparar as indicações das instituições da saúde com poucos cliques na internet. Isso porque existem várias formas de avaliação médico-hospitalar online, como redes sociais e sites específicos, que possibilitam um sistema de feedback feito pelos pacientes.

Esse é um aspecto que deve ser considerado com atenção, já que a reputação baseada na experiência influencia a possibilidade de que as pessoas retornem ou não ao hospital, clínica ou consultório. Além de ser um fator que leva o serviço a ser indicado ou não para pessoas próximas, afetando diretamente os resultados.

Como melhorar essa relação?

Muitas medidas podem ser colocadas em prática para melhorar a relação médico-paciente e alcançar melhores resultados. Confira algumas delas!

Realizar um atendimento humanizado

A humanização médica deve ser aplicada em todas as etapas do atendimento clínico. O ideal é criar procedimentos em que o médico deixa de tratar apenas a doença em si, e desenvolve uma visão holística sobre o indivíduo.

Nessa perspectiva, o paciente seria considerado com base em um contexto biopsicossocial. Ou seja, como alguém que tem sentimentos e emoções que geram impactos diretos na dinâmica da enfermidade, a dimensão dos seus problemas e necessidades.

Manter o equilíbrio entre o tempo e a quantidade de consultas por dia

A atenção total ao paciente é uma atitude muito valorizada e que promove maior alívio e conforto emocional. Portanto, é essencial para a minimização dos impactos da doença sobre a qualidade de vida.

Sendo assim, é importante pensar a respeito de estratégias para buscar o equilíbrio entre o volume de consultas do dia e o tempo disponível para cada uma delas, de forma a manter a qualidade no atendimento. É preciso ter bem claro que cada pessoa atendida é um cliente, então, está à procura de serviços que atendam às suas expectativas.

Ser empático

No dia a dia do médico, é normal que seja preciso dar notícias não muito boas e que nem sempre são recebidas tranquilamente por pacientes. Por esse motivo, trabalhar com empatia nos atendimentos é imprescindível. Para isso, é preciso se colocar no lugar do outro e oferecer suporte profissional, caso necessário.

Evitar atrasos

Imprevistos podem acontecer, como uma cirurgia inesperada, uma consulta que passou do tempo previsto, entre outros. Nesse caso, o melhor a se fazer é avisar o paciente com antecedência. Além disso, é importante pedir desculpas e explicar o motivo do atraso, já que para ele, isso pode ser um incômodo.

Utilizar o tom adequado

O médico vai se deparar com pessoas de perfis, classes, culturas e contextos sociais diferenciados. Sendo assim, o ideal é evitar utilizar termos técnicos e palavras de difícil compreensão. Afinal, isso pode fazer com que os pacientes se sintam desconfortáveis, inseguros e incapazes de se expressar sobre o que estão buscando.

Levando isso em conta, a conversa precisa ser o mais simples possível para favorecer a interação e impedir que o paciente oculte informações significativas para a definição correta do diagnóstico.

Como podemos perceber, prezar por uma boa relação médico-paciente faz toda a diferença para os resultados. Sendo assim, aproveite para colocar as dicas apresentadas em prática e oferecer um serviço de qualidade, diferenciar-se dos concorrentes e ter uma carreira de sucesso.

Achou este conteúdo interessante? Então, aproveite sua visita e veja o que você precisa saber sobre medicina humanizada!

Últimos posts

O que é Lean Healthcare? Entenda como ela está mudando a saúde

Você já ouviu falar sobre o Lean Healthcare? Conheça esse conceito revolucionário para a área da saúde! Imagine o seguinte…

Clínica médica: conheça essa especialidade tão importante

Conheça a especialização em Clínica Médica, saiba quais são os detalhes e a importância dela! Durante a faculdade de Medicina,…

Veja 8 orientações para melhorar a prática médica

Como melhorar a sua prática médica? Confira algumas dicas essenciais para esse desenvolvimento! Chegar ao posto de médico é algo…

Filtro

Utilize os filtros para facilitar sua busca

Tipos de Formação
Área de Interesse

Olá, estamos felizes por se interessar em nosso conteúdo, para prosseguir preencha os campos abaixo e tenha acesso a este e mais conteúdos de qualidade

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para auxiliar na navegação, aprimorar a experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Para mais informações consulte nosso Aviso Externo de Privacidade.

Olá, estamos felizes por se interessar em nosso conteúdo, para prosseguir preencha os campos abaixo e tenha acesso a este e mais conteúdos de qualidade.

Utilizamos seus dados conforme previsto em nossos avisos de privacidade. Você pode cancelar nossa comunicação a qualquer momento. Para saber mais, clique aqui.