Televendas | 0800 878 6547

Conheça mais sobre o tratamento de Alzheimer por canabidiol

As boas perspectivas no tratamento de Alzheimer por canabidiol explicadas por um de nossos especialistas!

Há alguns anos, a expectativa de vida do ser humano era consideravelmente menor do que nos dias atuais. Hoje, com os avanços na medicina, conseguimos uma maior longevidade — mas que também está atrelada ao aumento na incidência de doenças crônicas, incluindo o Alzheimer. Seu tratamento ainda é um desafio para a ciência moderna, mas o canabidiol pode ajudar.

Se comparados ao uso dos produtos da cannabis medicinal, os medicamentos tradicionais têm pouca eficácia contra a doença. Atualmente, consideramos que conseguimos frear a progressão da doença, mas não revertê-la ou curá-la completamente.

Para nos ajudar a compreender sobre o tratamento de Alzheimer por canabidiol, contamos com a colaboração de Pedro Antônio Pierro Neto, que é médico neurocirurgião e especialista no assunto. Continue com a leitura!

O que é o Alzheimer?

A Doença de Alzheimer (DA) é uma síndrome caracterizada pelo processo degenerativo e inflamatório do cérebro, relacionado ao declínio cognitivo da idade. Embora a doença esteja relacionada ao envelhecimento, ela pode se apresentar em uma fase mais precoce em algumas pessoas.

O processo da DA consiste em uma cascata neurodegenerativa cerebral, que acredita-se ser criada pela liberação de glutamato. Com isso, o Alzheimer se apresenta com a perda progressiva de neurônios em algumas regiões específicas do cérebro, como o córtex cerebral e o hipocampo.

Os tratamentos existentes para a doença se baseiam em retardar a evolução do problema. Mesmo com grandes avanços na Medicina, o Alzheimer ainda não tem cura. No entanto, segundo o Dr. Pedro Antônio, existem evidências de que o uso da cannabis medicinal diminui a liberação de glutamato e a neuroinflamação.

Quais são as possibilidades de tratamento de Alzheimer com CBD e THC?

O canabidiol (CBD) e o tetrahidrocanabinol (THC) são substâncias extraídas da cannabis sativa, que atuam no sistema nervoso central. Os canabinoides têm efeitos neuroprotetores, que podem ajudar na melhora cognitiva e de comportamentos.

“No entanto, os efeitos neuroprotetores da cannabis são multifatoriais, dependendo, por exemplo, de a pessoa ter hábitos saudáveis de vida. Embora uma série de fatores contribuam para a neuroproteção, esse achado já é uma grande esperança no tratamento”, comenta o médico.

Além dos efeitos neuroprotetores, o uso da cannabis medicinal pode melhorar a atenção e a memória recente. Todas essas vantagens fazem com que o CBD e o THC estejam sendo cada vez mais estudados no tratamento da doença de Alzheimer.

“É importante ressaltar, também, que o paciente não recupera as áreas cerebrais já danificadas. Mas, com o tratamento, sabemos que ele pode reaprender algumas atividades simples, como escovar os dentes, comer sozinho e arrumar sua cama. Esses detalhes proporcionam maior qualidade de vida e independência ao paciente”, aponta Pedro Pierro Neto.

Quais são os desafios das dosagens?

Para fazer a prescrição do medicamento, é importante levar em consideração que o THC apresenta efeito psicoativo, demandando doses menores. No entanto, na doença de Alzheimer, ele é muito bem tolerado em quadros de alterações de comportamento e déficit de atenção.

Já o CBD, por outro lado, pode ser prescrito em doses maiores, porque ele não oferece risco de alteração na consciência. “Vale ressaltar, também, que deve ser levado em consideração o histórico da doença para a prescrição do medicamento — visto que cada paciente responde de maneira diferente ao tratamento.”, indica o especialista

Existem contraindicações do CBD e THC para o Alzheimer?

Ao iniciar o tratamento, é importante observar a resposta do paciente: é comum verificarmos, por exemplo, um aumento da agitação com o THC ou apatia com o uso do CBD. Isso ocorre porque algumas pessoas têm grande sensibilidade ao THC, enquanto outras metabolizam o CBD de forma lenta, impedindo o progresso da dose.

Para constatar essas particularidades do metabolismo no paciente, é feito um teste genético. Ele nos ajuda a encontrar uma forma de tratamento que cause menos efeitos colaterais ao paciente.

Como está o tratamento com canabidiol de Alzheimer no Brasil?

Há um tempo, os médicos precisavam fazer um relatório dizendo o motivo do uso do canabidiol no Brasil. Hoje, isso mudou: não há mais a necessidade de uma doença específica contida na receita, mas o médico deve fazer uma prescrição controlada. Também é possível fazer a aquisição por meio de importação autorizada pela Anvisa ou por intermédio de uma associação autorizada.

De acordo com Pedro, “existem duas associações autorizadas no Brasil: uma na Paraíba, que já comercializa o produto mediante receita e relatório, e outra que ainda não o comercializa”.

O que é necessário para obter bons resultados do tratamento?

Os tratamentos à base dos canabinoides foram negligenciados na área da educação por muitos anos. Hoje, já existem faculdades com disciplinas específicas sobre canabinoides, especialmente na parte de fármacos.

Para mudar a percepção das pessoas em relação ao tratamento com essas substâncias, é fundamental a mudança no meio acadêmico. O conhecimento sobre os seus efeitos pode ser muito importante para trazer maior qualidade de vida aos pacientes.

Os bons resultados com o uso da cannabis medicinal se conseguem por meio de uma educação continuada sobre o assunto. Como esse conhecimento está presente nas novas gerações médicas, o mercado e os pacientes pedem essa prática.

Para oferecer à comunidade médica um conhecimento contínuo sobre as aplicabilidades da cannabis, já temos boas instituições especialistas no assunto. A Inspirali é uma escola de Medicina que investe continuamente na educação sobre os tratamentos feitos com os canabinoides.

A Inspirali reúne em seu corpo docente grandes especialistas no assunto, que contam com um grande conhecimento prático. Além disso, ela se preocupa com o estudo em todas as áreas de atuação em que o canabidiol pode ajudar.

A cannabis medicinal pode trazer muitos benefícios e mais qualidade de vida aos pacientes com a Doença de Alzheimer. A eficácia dos tratamentos de Alzheimer com canabidiol tem superado os resultados obtidos pelo uso de medicações alopáticas, de acordo com Antônio Pierro Neto. Por isso, as terapias feitas com essas substâncias precisam ser mais exploradas no meio acadêmico.

Se você quer se manter a par do assunto, baixe nosso e-book e fique por dentro das informações mais atualizadas sobre o uso da Cannabis medicinal.

Últimos posts

Tudo que você precisa saber sobre auditoria em saúde

Para que a assistência à saúde seja aplicada aos pacientes com qualidade, é fundamental avaliar se os cuidados estão sendo…

Os 8 livros de Medicina que você deve ler se deseja o sucesso

Gosta de ler? Então, é hora de conhecer alguns dos melhores livros de Medicina para inspirar você nessa carreira! O…

Como fidelizar pacientes: veja 9 estratégias e ações

Você sabia que aprender como fidelizar os pacientes é tão importante quanto ser bem qualificado na área da saúde? Entenda!…

Filtro

Utilize os filtros para facilitar sua busca

Tipos de Formação
Área de Interesse

Olá, estamos felizes por se interessar em nosso conteúdo, para prosseguir preencha os campos abaixo e tenha acesso a este e mais conteúdos de qualidade

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para auxiliar na navegação, aprimorar a experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo do seu interesse. Para mais informações consulte nosso Aviso Externo de Privacidade.

Olá, estamos felizes por se interessar em nosso conteúdo, para prosseguir preencha os campos abaixo e tenha acesso a este e mais conteúdos de qualidade.

Utilizamos seus dados conforme previsto em nossos avisos de privacidade. Você pode cancelar nossa comunicação a qualquer momento. Para saber mais, clique aqui.